Educando

Você domina os conhecimentos sobre a alergia do leite de vaca do seu filho. Mas e o resto das pessoas que convivem com vocês? Saiba mais sobre:

Viagens e alergia alimentar

Atividades fora do ambiente familiar, sempre aumentam a preocupação, estresse e insegurança quanto a exposição acidental ao leite.
Assim, muitas vezes estes momentos são evitados. Pode ser trabalhoso, mas acredite, é compensador, basta se planejar!

Defina o destino e o tempo de duração da viagem: talvez começar com locais mais próximos e que tenham menor tempo de duração, tragam mais segurança para outras escolhas mais distantes e longas, no futuro.

Transporte: Pense nas comidinhas que possam ser consumidas durante a viagem.
Se for viajar de carro ou ônibus, frutas frescas, secas ou biscoitos são boas opções. Dependendo da distância, talvez seja o caso de pensar em algo que substitua uma refeição. Mas lembre-se, nem sempre haverá lugar para aquecer a comida, então, tem que ser algo que possa ser consumido em temperatura ambiente, tal como, purês, legumes cozidos, sanduiches.
Se for viajar de avião, verifique as regras das companhias aéreas para o transporte de alimentos, normalmente, exige-se uma declaração médica que justifique a necessidade desta refeição, além disso, existem restrições que podem ser diferentes dependendo do destino do voo, em relação ao peso e dimensão da bagagem de mão, tipo de alimento a ser levado, volume de liquido permitido, entre outros. Desta forma, é muito importante ligar na central de atendimento da companhia aérea para se informar sobre estas condições. Algumas companhias ainda oferecem opções de refeições especiais, se informe sobre esta possibilidade também.
Se a viagem for internacional, não se esqueça de verificar as normas vigentes do destino em relação à entrada de alimentos, as empresas aéreas podem te informar sobre isso também. Ter a declaração médica e os medicamentos traduzidos na língua do país de destino também é importante.

Hospedagem: Pesquise se os locais, apresentam cozinha disponível para o uso dos hóspedes, se o hotel disponibiliza refeições sem a fonte alergênica e certifique-se de que eles separam os utensílios de cozinha utilizados. Atenção com facas, colheres e garfos no buffet do hotel, assim como os utilizados nos restaurantes, melhor será se você conseguir levar os seus.
As viagens de carro permitem que você leve comidas congeladas, assim, verifique se o hotel oferece a possibilidade de armazenamento e aquecimento das refeições. Tenha uma lista de alimentos industrializados que a criança pode consumir, principalmente se estiver em outro país, porque é sempre uma possibilidade a recorrer. Pesquise por restaurantes que possam ser frequentados, destinos internacionais podem ser consultados no site www.allergyeats.com.

Na bolsa sempre: Tenha os medicamentos que a criança consome e também os que seriam necessários em caso de emergência, consulte o médico sobre a conduta recomendada. Leve lencinhos umedecidos e álcool gel. Documentos pessoais e do plano de saúde para eventual emergência (pesquisar antecipadamente qual é o pronto socorro mais próximo, checar se há cobertura do plano de saúde e deixar o endereço anotado junto aos demais documentos, assim como os telefones dos médicos responsáveis pelo acompanhamento). Vale a pena também conversar com outros pais que já tiveram esta experiência antes, eles terão boas dicas para passar.

Enfim, viajar com uma criança alérgica pode parecer uma tarefa difícil, mas certamente vale a pena, estes momentos em família são muito valiosos.

Referências:
cadastre-se
no site Lápis